Livros e revistas nacionais

Livros e revistas internacionais

Encontros nacionais

Encontros internacionais

 

Teses de mestrado e doutoramento

   

Alaiz, V. (1996). Práticas de avaliação formativa e de diferenciação pedagógica (Tese mestrado, Universidade Católica Portuguesa)

Este estudo tem por objecto as práticas de avaliação formativa e de diferenciação pedagógica no contexto de sala de aula e por objectivo a respectiva descrição e interpretação, bem como dada a escolha de uma metodologia de investigação-acção, o esboço de perspectivas do seu desenvolvimento ou aperfeiçoamento. Os resultados obtidos apontam para que as práticas de avaliação dependem de rotinas e da disponibilidade para mudar ou desenvolver essas práticas.

Palavras-chave: Avaliação das aprendizagens, avaliação formativa, diferenciação pedagógica, ambiente de avaliação, práticas avaliativas.
___________________________

Alves, L. (2006). Práticas de avaliação no quadro de um projecto. Estudo com alunos do jardim-de-infância. (Tese mestrado, DEFC, Universidade de Lisboa)

Este estudo desenvolvido no contexto de jardim-de-infância tem como objectivo estudar os limites e as potencialidades de dois instrumentos de avaliação - o portefólio e o diário de bordo - e como estes podem ser utilizados numa prática pedagógica auto regulada. Seguindo uma abordagem etnográfica e narrativa, este trabalho permitiu perceber o modo como as crianças se foram apropriando do portefólio, a função de mediação do diário entre a prática e a sua reflexão e os modos que a auto regulação pode assumir no quadro do trabalho profissional.
Palavras-Chave: avaliação formativa; portefólio, diário de bordo, auto regulação de práticas, avaliação no jardim-de-infância.
__________________________

Dias, P. (2005). Avaliação reguladora no ensino secundário. Processos usados pelos alunos em investigações matemáticas (Tese de mestrado, Universidade de Lisboa). Lisboa: APM  (download)

Este trabalho teve por objectivo estudar os processos que os alunos do ensino secundário, 10º ano de escolaridade, usam como forma de dar resposta às dificuldades, obstáculos e raciocínios erróneos com que se confrontam nas investigações matemáticas. Seguindo uma abordagem metodológica de natureza qualitativa e interpretativa, foram estudados quatro alunos (estudos de caso).
Palavras-chave
: interacções na sala de aula, actividade do aluno, investigações matemáticas, auto-regulação, aprendizagem da Matemática.
___________________________

Dias, S. (2008). O papel do feedback escrito na avaliação reguladora do ensino e das aprendizagens – estudo de caso com alunos de 8º ano na disciplina de matemática. (Tese de mestrado, Universidade de Lisboa). (download)

O presente estudo pretendeu estudar a forma como o feedback escrito dado às produções escritas dos alunos contribui para as suas aprendizagens, tendo em vista uma avaliação reguladora das aprendizagens. Em particular, procurou-se estudar qual o tipo de alunos que mais beneficiam de feedback e como evolui a sua postura, quais as
características do feedback e quais os contextos pedagógicos, tarefas e formas de trabalho, que propiciam feedback com efeitos reguladores sobre a aprendizagem.
Palavras-chave: Avaliação Reguladora; Aprendizagem matemática; Feedback; Tarefas matemáticas; Trabalho de grupo e individual.
___________________________

Graça, Mª. M. (1995). Avaliação de resolução de problemas: contributo para o estudo das relações entre as concepções e as práticas pedagógicas dos professores (Tese de mestrado, Universidade de Lisboa). Lisboa: APM

Seguindo uma abordagem metodológica de estudos de caso qualitativos, de cunho essencialmente interpretativo, este estudo foi estudar a relação entre as concepções e as práticas pedagógicas de quatro professores de Matemática do 3º ciclo do ensino básico na avaliação da resolução de problemas.
Palavras-chave: Resolução de problemas, avaliação, Matemática, ensino, aprendizagem, concepções, prática pedagógica.
___________________________

Inácio, Mª. A. (1997). Como os professores lidam com os erros dos alunos (Tese de mestrado, Instituto Superior de Psicologia Aplicada). Lisboa: APM

Este trabalho pretende contribuir para a compreensão da forma como os professores lidam com os erros dos alunos, em particular com os Números Decimais. Com um grupo de cerca de 20 professores do 5º e 6º anos de escolaridade, numa primeira fase foram determinados padrões de erros frequentes. De seguida, foi-lhes pedido que planificassem uma sessão de correcção, e que respondessem a um breve questionário e entrevista. Na generalidade a razão dos erros dos alunos foi atribuída ao desconhecimento da teoria matemática implicada.
Palavras-chave
: Matemática, ensino/aprendizagem, avaliação das aprendizagens, padrões de erros, prática lectiva.
___________________________

Leal, Mª. L. (1993). Avaliação da aprendizagem num contexto de inovação curricular (Tese mestrado, Universidade de Lisboa). Lisboa: APM

Seguindo uma abordagem metodológica de natureza interpretativa, este estudo estuda as potencialidades de diversas formas de avaliação - teste em duas fases, relatório escrito, feito individualmente e em grupo, apresentação oral e observação - julgadas adequadas num contexto de inovação curricular, o projecto Mat789. Em particular, procurou-se saber os objectivos preferencialmente cobertos, o grau de aplicabilidade, e a aceitação por parte dos professores e dos alunos.
Palavras-chave: Avaliação, Matemática, ensino, aprendizagem, inovação curricular, instrumentos de avaliação.
___________________________

Leite, M. (2004). Do dizer ao fazer - um olhar sobre a avaliação dos alunos a partir dos conselhos de professores. (Tese de mestrado, FPCE, Universidade do Porto)

Este estudo efectuado numa EB2,3 tem como objectivo estudar a relação que existe entre o modo como os professores dizem chegar à nota de um aluno e o modo como chegam efectivamente nas reuniões dos conselhos de professores para fins avaliativos, no final dos períodos lectivos. Seguindo uma metodologia de estudo de caso, o trabalho evidencia que longe da perspectiva formativa referida, os testes/fichas e o comportamento são a base para a construção da nota final. A reunião do conselho é essencialmente um espaço para uma troca colectiva das notas dos alunos.
Palavras-Chave: Avaliação; reuniões de conselho de turma para avaliação, avaliação no 2º e 3º ciclos do Ensino Básico, representações e práticas de avaliação
___________________________  

Martins, Mª. P. (1996). A avaliação das aprendizagens em matemática: concepções dos professores (Tese mestrado, Universidade Católica Portuguesa). Lisboa: APM.

Seguindo uma abordagem metodológica de estudos de caso qualitativos, este estudo teve como principal objectivo identificar e compreender concepções de três professoras de Matemática do ensino secundário sobre a avaliação das aprendizagens, tendo em conta a forma como a concretizam.
Palavras-chave: Avaliação, Matemática, ensino, concepções, professor.
___________________________

Martins, Mª. C. (2002). Implementação de portfólios com futuros professores do 2º ciclo. Uma experiência no estágio pedagógico de Matemática (Tese de mestrado, Universidade do Minho).

No contexto da formação inicial de professores, concretamente na disciplina de Prática Pedagógica II (estágio pedagógico) na área da Matemática, este estudo procurou estudar quais as implicações da implementação de portfólios para o desenvolvimento da reflexão de futuros professores face ao ensino e aprendizagem da Matemática e ao processo de avaliação. Optou-se por uma abordagem metodológica de natureza qualitativa/interpretativa.
Palavras-chave: Avaliação, Matemática, formação inicial de professores, portfolios, reflexão.

___________________________

Menino, H. (2004). O relatório escrito, o teste em duas fases e o portefólio como instrumentos de avaliação das aprendizagens em Matemática - um estudo no 2º ciclo do ensino básico (Tese de mestrado, Universidade de Lisboa). Lisboa: APM

Este trabalho teve como objectivo analisar a utilização de diferentes instrumentos alternativos de avaliação em Matemática no 2º ciclo do ensino básico - relatório escrito, o teste em duas fases e o portefólio. Desenvolvido num contexto de trabalho colaborativo entre investigador e quatro professoras de Matemática, este estudo seguiu uma abordagem metodológica de natureza qualitativa e interpretativa.
Palavras-chave: Avaliação, Matemática, modalidades de avaliação, ensino, aprendizagem, relatório escrito, teste em duas fases, portefólio.

___________________________

Nunes, C. (2004). A avaliação como regulação do processo de ensino-aprendizagem da Matemática. (Tese de mestrado, Universidade de Lisboa). Lisboa: APM

Este estudo teve como principal objectivo saber o que os alunos do 3º ciclo do ensino básico pensam sobre o processo de avaliação em Matemática e como reagem a práticas inovadoras. Seguindo uma abordagem metodológica de natureza qualitativa e interpretativa, foram analisados seis modos de avaliação - relatório de tarefas de investigação, trabalho de projecto, portfolio, teste em duas fases, síntese da matéria, auto-avaliação oral - através do contributo de quatro alunos, da professora e dos encarregados de educação 
Palavras-chave: Avaliação, Matemática, concepções dos alunos, modos de avaliação, instrumentos de avaliação.

___________________________

Pinto, J. (2002). A avaliação formal no 1º ciclo do ensino básico: uma construção social (Tese de doutoramento, Universidade do Minho)

Seguindo uma abordagem metodológica interpretativa, tomando como referência o estudo de caso de natureza etnográfica, este estudo procura perceber o funcionamento da avaliação formal e dos seus significados em termos de práticas dos professores avaliadores, no quadro de uma organização específica - uma escola do 1º ciclo do ensino básico. Não abrangendo toda a avaliação que o professor, centra-se na avaliação formal que é aquela que ocorre no final de cada período lectivo e que toma lugar no conselho escolar.
Palavras-chave: Avaliação, práticas de avaliação formal, avaliação e aprendizagem, avaliação como um processo de interacção social, avaliação informativa, avaliação e valores, 1º ciclo do ensino básico.

___________________________

Rafael, M. A. (1998). Avaliação em Matemática no ensino secundário. Concepções e práticas de professores e expectativas de alunos. (Tese de mestrado, Universidade de Lisboa). Lisboa: APM

Seguindo uma abordagem metodológica de natureza qualitativa, através de estudos de caso, este estudo teve como principal objectivo estudar as concepções e as práticas de três professores de Matemática do ensino secundário, nomeadamente sobre a avaliação. Foram ainda considerados cinco alunos de cada professor a fim de confrontar as suas expectativas em relação à matemática com a do seu professor.
Palavras-chave: Avaliação, Matemática, ensino, aprendizagem, concepções, práticas, professor, aluno, dilemas.
___________________________

Semana, S. (2008) O relatório escrito enquanto instrumento de avaliação reguladora das aprendizagens dos alunos do 8º ano de escolaridade em Matemática. (Tese de mestrado, Universidade de Lisboa). (download)

O presente estudo tem como objectivo principal compreender o papel do relatório escrito enquanto instrumento de avaliação reguladora das aprendizagens dos alunos do 8.º ano de escolaridade, em Matemática. Em particular, procura-se perceber quais as dificuldades inerentes à elaboração do relatório escrito, quais as suas potencialidades para a aprendizagem dos alunos e qual o contributo das estratégias que acompanham a sua elaboração.
Palavras-chave: Avaliação reguladora; auto-regulação; aprendizagem em Matemática; relatório escrito; feedback; critérios de avaliação.
___________________________

Varandas, J. (2000). Avaliação de investigação matemáticas: uma experiência. (Tese mestrado, Universidade de Lisboa) Lisboa: APM (download)

Seguindo uma abordagem metodológica de natureza qualitativa, este estudo teve por objectivo estudar o processo de avaliação dos alunos do ensino secundário, 10º ano de escolaridade, na realização de investigações matemáticas na sala de aula. Desenvolvido num contexto de trabalho colaborativo entre investigador e duas professoras de Matemática, este trabalho estudou quatro estudos de caso, correspondendo respectivamente a modos de avaliação experimentados: trabalho em grupo e relatório em grupo, trabalho em grupo e relatório individual, trabalho em grupo e apresentação oral e trabalho individual e relatório individual, em tempo limitado.
Palavras-chave: Avaliação, Matemática, actividades de investigação, concepções sobre a Matemática, colaboração.
___________________________